A ocupação

Havia postado no Facebook, e houve um grande número de compartilhamentos e comentários. Então vai para este blog, com atualizações. É sobre o episódio do Pinheirinho, da desocupação – domingo, dia 22 de janeiro – de um terreno, parte da massa falida de uma corporação, que havia sido invadido há 8 anos e tinha cerca de 6.000 moradores, em São José dos Campos, São Paulo.
Achei repugnante. O que houve pareceu Sul do Pará, Acre, regiões que sabemos conflagradas pela ação de grileiros e expulsão de posseiros pela violência. Mas aqui, em São José dos Campos, a menos de 100 km de São Paulo? É óbvio que lugar da ocupação devia ter sido decretado de utilidade pública. Afinal, o que temos visto – aqui, não em Boca do Acre ou Marabá – é os problemas decorrentes de ocupações serem resolvidos através de negociações, e não de pauladas
Por mais que eu evite dualismos simplistas e identificação de um lado ‘bom ‘ e outro ‘mau’, sou obrigado a reconhecer: determinadas autoridades se esforçam para que lhes sejam colados os rótulos de autoritárias, omissas, mancomunadas com os piores interesses (óbvio que a pressa em desocupar foi por haver empreendimento imobiliário interessado no terreno…). E a população de S. José dos Campos me pareceu estar, majoritariamente, em um torpor doentio. Contribuição das redes sociais ampliou escândalo – isso é bom.

Para expor todas as razões do meu espanto e repúdio – éticas, é claro, e políticas, sociológicas, adminstrativas (bando de incompetentes), até mesmo estéticas: tudo isso é retrô, puro estilo de 1977 no Brasil – ou então, da invasão de Kent State em maio de 1970. Provoca uma desanimadorta sensação de volta ao passado, ou de que o futuro pode ser ainda pior. Algumas autoridades brasileiras estão sofrendo um tipo de mutação que se vê em filmes de horror, em geral, e de David Croneberg em especial: vão se assemelhando cada vez mais à horrenda caratonha do falecido Coronel Erasmo Dias. Outras praticam a complacência – treinam fazer caras de paisagem.

O tratamento tão diferenciado para ricos e pobres no Brasil – por exemplo, quando imobiliárias atropelam zoneamento, ou sonegam taxas, e fica tudo por isso mesmo, os moradores dos prédios irregulares continuam confortavelmente onde estão, os empresários fraudadores vão tocando suas vidas e seus negócios – ou então, as notícias que vemos, volta e meia, de alguém esquecido na cadeia por algo que não cometeu, ou por algum delito insignificante, enquanto criminosos em melhor situação vão protelando seus julgamentos. Não apenas nossa moldura jurídica funciona como se fosse aquela da República Velha (impressionante, o magistrado que forçou a desocupação em vez de dar algum tempo para a volta ao bom senso), porém municipalidades, saindo-se das grandes metrópoles, viraram sedes do marasmo, cenários do retorno do coronelismo. Há um problema cultural – algo que me parece tipicamente (e sinistramente) brasileiro – afinal, em outros países existem classes socais, burguesia, propriedade privada, etc, e nem por isso eclosões de barbárie chegam a tal nível.

Em tempo (postado no dia seguinte, 24/01): Foi noticiado, ontem à noite, que governo do estado dará bolsa-aluguel aos desalojados do Pinheirinho, e que governo federal os incluirá no minha casa minha vida. Bando de incompetentes. Tivessem feito isso antes, negociado saída de modo decente, evitariam violência, sofrimento e confusão. Essa categoria, “modo decente”, não é alcançada pelo atual prefeito de SJosé, me parece, nem pelo presidente do TJ – os que forçaram a mão e determinaram desocupação a ferro e fogo

Anúncios

3 responses to this post.

  1. Nessa terra Cassiano virou placa —- São José dos Campos
    av: Cassiano Ricardo
    Jardim das Indústrias

    Resposta

  2. Professor, como já mencionei na sua página no Face, concordo plenamente com suas colocações.
    Ouvi os comentário do jornalista Ricardo Boechat e gostei muito, segue o link para sua apreciação: http://www.youtube.com/watch?v=mghmTSVEyrM

    Resposta

  3. Ótimo – fica registrado o link

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: