Hilda Hilst para devotos

Deus está presente em campanhas eleitorais. Candidatos o invocam, apoiados por padres e pastores de igrejas, denominações, templos e seitas. Nada contra pessoas terem suas religiões; tudo contra os retrocessos que essa gente pretende promover. Assim como já havia postado aqui uma série “Hilda Hilst para censores”, apresento esta, dirigida a crentes e devotos subservientes. Em ensaios e palestras, já observei a substância filosófica dessas blasfêmias e imprecações. Como ela havia escrito, “Há uma luz que ansce da blasfêmia e amortece na pena”.

De Fluxo-floema:

[..] chega, chega, morte à palavra desses anêmicos do século, esses enrolados que se dizem com Deus, Deus é esse ferro frio agora na tua mão, quente no peito do teu inimigo, Deus é essa bala, olhem bem, Deus é um fogo que vai queimar essas gargantas brancas, Deus é tu mesmo, homem, tu é que vais dispor do outro que te engole, e quem é que te engole, homem?

[…] além de sabermos que o teu Jesus nunca existiu, sabemos também que Deus… oh, sabemos… Deus, Lázaro, Deus é agora a grande massa informe, a grande massa movediça, a grande massa sem lucidez. Dorme bem, filhinho.

Meu Deus. Sabe o que me dizem? Dizem: o teu Deus é um porco com mil mandíbulas escorrendo sangue e imundície. Meu Deus. Meu Deus. O teu deus nos cuida assim como os homens cuidam das cobaias, para a morte, para a morte, nós todos a caminho da morte, repasto para o teu Deus e ele lá em cima, insaciável, dizendo,: venham meus filhos, venham alimentar-me. O teu Deus está por aí, bocejando com duas bocas: numa, um hálito fétido, noutra, uma rosa. Você escolhe a boca que quiser, meu chapa.

 

De Amavisse:

Que vertigem, Pai.

Pueril e devasso

No furor da tua víscera

Trituras a cada dia

Meu exíguo espaço

[…]

Deus, um cavalo de ferro

Colado à futilidade das alturas.

De A obscena senhora D:

olha Hillé a face de Deus

onde onde?

olha o abismo e vê

eu vejo nada

De Estar sendo, ter sido:

as coisas que o Criador faz. deve rir sem parar das coisas que constrói. […] Aqui estou eu, eu Vittorio, Hillé, Bruma-Apolonio e outros. eu de novo escoiceando com ternura e assombro também Aquele: o Guardião do mundo.

Haveria mais. Muito mais.

Anúncios

4 responses to this post.

  1. Hilda, sem dúvida, foi uma das que escarneceu, em sua obra, a ideia desse deus perfeito benevolente judaico-cristão… Que tal uma segunda parte, mestre Willer? Abraços!

    Responder

  2. Entre a verdade e os infernos

    Dez passos de claridade

    Dez passos de escuridão. (HH)

    Responder

  3. […] postagens minhas sobre Hilda Hilst neste blog: Hilda Hilst para devotos: https://claudiowiller.wordpress.com/2012/10/06/hilda-hilst-para-devotos/ Hilda Hilst para censores: […]

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: