Palestra sobre poesia e música

Minha próxima aparição e apresentação pública (além dos finais de curso de Geração Beat na Casa das Rosas e no Espaço Cult, e onde mais quiserem que eu me materialize)

Cia. Corpos Nômades:

PALESTRA SOBRE LITERATURA E MÚSICA, com Claudio Willer

ONDE: ESPAÇO CÊNICO O LUGAR – Rua Augusta, 325 – tel. 3237 3224

ciacorposnomades@gmail.com

QUANDO: Sábado, dia 08 de dezembro, das 16:30 às 19:00 h.

Entrada franca, programação gratuita (mas c0nvém reservar, antes)

SINOPSE: Tudo, desta vez, ocorrerá de modo muito sonoro. A palestra será ilustrada, no sentido auditivo da palavra: usarei o equipamento, o “datashow”, vitrolas e afins do local. Tratarei, dentro do tema geral, de:

1. prosódia, poesia como som;

2. as paixões românticas pela música e poesia;

3. correspondências e o encantamento de Baudelaire ao descobrir Wagner;

4. simbioses de música e poesia entre simbolistas;

5. alguns temas brasileiros;

6. mais simbioses de poesia e música, entre os beats (com destaque, é claro, para Jack Kerouac);

7. alguma excentricidade;

8. outros assuntos hipnóticos e perturbadores.

A palestra faz parte da programação ligada à nova e estimulante encenação dos Corpos Nômades, dirigidos por João Andreazzi:

Uma Sinfonia Entre a Medula Óssea e o Piscar dos Olhos-Novo Espetáculo.

Mais informações em:

http://www.ciacorposnomades.blogspot.com.br/

Anúncios

5 responses to this post.

  1. gostei especialmente do tema: “outros assuntos hipnóticos e perturbadores.”

    Que dia virá para BH? PRECISO!!! das suas palestras, poemas e infinito…

    amo essa simbiose entre música e poesia; é ainda mais transcendente. O grande tesão do poeta, ao meu ver, é ser cantado por multidões! pelo menos, é o meu!
    e não é por vaidade somente, é uma espécie de LOUvação ao Universo… rsrs… (nem um pouco metida, hein!!!) hehe…

    Beijos!!!

    Lu

    Responder

  2. Tout à l’heure, en abandon de geste, avec la lassitude que cause le mauvais temps désespérant une après l’autre après-midi, je fis retomber, sans une curiosité mais ce lui semble avoir lu tout voici vingt ans, l’effilé de multicolores perles qui plaque la pluie, encore, au chatoiement des brochures dans la bibliothèque. Maint ouvrage, sous la verroterie du rideau, alignera sa propre scintillation: j’aime comme en le ciel mûr, contre la vitre, à suivre des lueurs d’orage.

    Notre phase, récente, sinon se ferme, prend arrêt ou peut-être conscience: certaine attention dégage la créatrice et relativement sûre volonté.

    Será?

    Ainda bem que resolvi seguir teus posts…. vou adorar rever Andreazzi retomar seu ponto de partida de 20 anos atrás. E te ouvir sobre os pontos acima…. claro que vou estar lá…. e vou levar uma galera toda pra te ouvir….

    Monument en ce désert, avec le silence loin; dans une crypte, la divinité ainsi d’une majestueuse idée inconsciente, à savoir que la forme appelée vers est simplement elle-même la littérature; que vers il y a sitôt que s’accentue la diction, rythme dès que style.

    abs

    Responder

  3. Posted by Esmélin Fernández on 03/12/2012 at 00:03

    É sempre um inenarrável prazer participar do desfrute literário. Grata pelo convite, abraxas!

    Responder

  4. Posted by henrique costa on 03/12/2012 at 01:13

    Que excelente ideia Willer Juntar a poesia e alguns outros temas Como:Hipinoticos e pertubadores,as paixoes romanticas e a poesia…achei genial..e tambem estou com saudades de voce falando sobre , mais simbioses de poesia e música, entre os beats (com destaque, é claro, para Jack Kerouac);

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: