Série de palestras sobre poesia e prosa na Biblioteca de Pinheiros

Fui convidado para dar três palestras, em dias consecutivos, comemorando o Dia da Poesia, na Biblioteca Alceu Amoroso Lima, em Pinheiros (Rua Henrique Schaumann, 777).

Dias 19, 20 e 21 de março, das 19:30 às 21:30. Da terça à quinta-feira.

Consultei freqüentadores de meus cursos e oficinas sobre o tema. Escolhi A prosa poética e o poema em prosa: convergências – havia sido proposto e abrange outras sugestões, como Rimbaud, e Lautréamont; além disso, me permitirá avançar em autores como Campos de Carvalho, menos estudado do que merece.

Uma satisfação, voltar a apresentar-me na Biblioteca Alceu Amoroso Lima – gostei de dar curso sobre Geração Beat e oficinas literárias, em 2009 / 2010. Conheci novos talentos poéticos.

Venham.

A biblioteca informa que é necessária a inscrição prévia. Pode ser pelo telefone: 3082-5023.

A seguir, copiado da programação da Secretaria Municipal de Cultura, outras informações e o programa / release que eu havia encaminhado.

BIBLIOTECA ALCEU AMOROSO LIMA

Rua Henrique Schaumann, 777
Pinheiros 05413-021 São Paulo, SP
Tel. 11 3082-5023 – endereço eletrônico bmalceualima@yahoo.com.br

Ciclo “A prosa poética e o poema em prosa: convergências”
Com Cláudio Willer
Em O arco e a lira, Octavio Paz pergunta: “Se reduzirmos a poesia a umas poucas formas – épicas, líricas, dramáticas -, o que faremos com os romances, os poemas em prosa, e esses livros estranhos que se chamam Aurélia, Os cantos de Maldoror ou Nadja?
A série de três palestras examinará esses e outros “livros estranhos”, que desafiam classificações em gêneros e formas literárias. Tratará de obras que já são referência na poesia em prosa, como Iluminações de Rimbaud, mostrando, nelas, a expressão não-discursiva e o relato onírico; e do paroxismo dessas características em André Breton, Robert Desnos e outros surrealistas. Da literatura brasileira do século 20, a prosa poética em autores tão diversos como Jorge de Lima, Guimarães Rosa e, com especial atenção, por demandar mais leitura, Campos de Carvalho. Também examinará portugueses contemporâneos, como Herberto Helder. A intenção é interpretá-los; mostrar a riqueza de sentidos em obras que, aparentemente, destroem a relação de significação; e valorizar o alcance subversivo, sua rebelião contra o senso comum e a lógica do discurso. Pretende-se, desse modo, estimular a imaginação e contribuir para ampliar a capacidade de leitura dos participantes, além de promover debate.
Claudio Willer é poeta, ensaísta e tradutor. Doutor em Letras pela USP publicou Geração Beat, Estranhas Experiências, Dias Circulares, Lautréamont – Os Cantos de Maldoror e Poesias e Cartas, entre outros livros. Inscrições diretamente na unidade.

Mais sobre a programação da biblioteca, incluindo aquela minha foto simpática fazendo cara de autógrafo, em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/bibliotecas/bibliotecas_bairro/bibliotecas_a_l/alceu/index.php?p=81

Anúncios

One response to this post.

  1. Poema em prosa e não vai falar de Bukowski?? ohhhh….

    Beijos, querido professor!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: