Em favor da privatização dos Correios?

Ou da quebra do monopólio? Ou, ao menos, de reclamarem (reclamarmos) energicamente?

Não é por causa da greve e conseqüentes transtornos. Funcionários têm o direito de reivindicar. E direção da empresa oferecer reajuste de 5,75% equivale a chamar para a greve. Mas:

  1. Tarifas postais brasileiras são acintosamente caras; o serviço é lento, impontual. Na Alemanha, enviar um livro custa a metade; leva a metade do tempo para chegar. Prejuízos para a cultura são consideráveis. Hoje, nem editores, nem autores bancam envio postal de convites de lançamentos e eventos. Mandar livro às vezes sai mais caro que o preço de capa do volume; conforme o lugar, leva semanas para chegar. Isso, para não falar de outros danos: ano passado, na região Norte, a quantidade de pessoas que recebiam conta com atraso e se viam obrigadas a pagar com multa, por exemplo. Tarifas de sedex e sua propaganda, apresentando-o como serviço rápido, são uma ofensa.
  2. Correios há muito deixaram de ter importância estratégica que justificasse monopólio estatal. Telecomunicações, distribuição de energia, transportes, muito mais relevantes, funcionam em regime de concessão a empresas privadas. Diria que Correios e Telégrafos continuaram empresa estatal justamente pelo anacronismo, por ninguém estar se importando com isso. Virou burocracia tardígrada, agências com filas, a maioria nem distribui senhas, se for preferencial tem que berrar, um ou outro funcionário atendendo – típicos ambientes de repartição pública velha. Culpa dos funcionários? Não – da péssima gestão.
  3. Privatizar é entregar? Concessionários de serviços públicos fazem o que bem entendem? A realidade mostra que nem sempre. Exemplos recentes, o modo como enquadraram distribuidores de energia elétrica e concessionários de transportes públicos. Demorou, mas Eletropaulo foi multada e repreendida: pararam os apagões a toda hora. O importante é não haver negócios estranhos, como esse, recente, da telefonia fixa para a Vivo – ou, no século passado, os pacotes de TV a cabo, afrontando nosso direito de escolha. Empresários capitalistas não são bonzinhos, economia de mercado é predatória – mas para fazer frente a isso existem governos e outros modos de representação da sociedade.

Talvez a questão nem seja privatizar ou manter como estatal, quebrar monopólio ou não– porém, ao menos, discutir estratégias para melhorar. A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos oferece, faz tempo, argumentos contrários à preferência de alguns pelos regimes de planejamento central. Enfim, desse jeito, como está, é ruim para todo mundo.

Anúncios

9 responses to this post.

  1. Boas observações! Se já privatizaram as telecomunicações, por que manter o monopólio dos Correios? Até o interesse social já se perdeu: antigamente diziam que o monopólio dos Correios permitia manter o preço baixo e uniforme para se enviar cartas a lugares distantes, normalmente mais necessitados. Hoje, os migrantes internos comunicam-se com suas famílias instantaneamente via celulares pré-pagos a vinte e um centavos por ligação ou menos. Privatização já!

    Responder

  2. Privatizar sem dar fim ao monopólio garantido por lei só irá piorar a situação. Se conseguirmos dar um fim ao monopólio, já será um grande avanço.

    Responder

    • Posted by jonh on 09/10/2013 at 01:04

      os correios são umas das poucas coisas que os brasileiros tem.. Se privatização resolvesse a gasolina estaria mais barata.. A conta de energia também. O serviço de telefonia também.. As BR’s também, mesmo com o pedágio..
      O importante é todo povo brasileiro cobrar ao governo uma modernização dos serviços públicos.. Tem tanta empresa privada que é pior do que uma estatal. Mas a ignorância de alguns brasileiros é assim.. Tem que vender tudo assim como os indios, e ficar refem ao serviço de empresas privadas incopetentes..

      Responder

      • Posted by Valder on 27/04/2014 at 09:30

        Se a privatização não é uma boa ideia. Ao menos tirem o Monopólio desse serviço!

  3. Posted by luciano on 03/11/2013 at 14:33

    O brasil e um pais de proporços continentais, e basicamente o escoamento da logistica dos nossos produtos e via rodoviario,nao tem como comparar com um pais da europa por exemplo o tempo e custo, de todas as estatais br que foram privatizadas temos as tarifas mais caras do mundo vide gasolina telefonia etc.. tem que haver modernizaçao e seriedade na admistraçao, privatizar so vai mudar o endereço de reclamaçao !

    Responder

  4. […] recentemente postei algo sobre correios, que agora atrasam sistematicamente entrega do caro sedex. https://claudiowiller.wordpress.com/2013/09/12/em-favor-da-privatizacao-dos-correios/ Reparem que falei em privatização como hipótese. Comentários, aprovando. Um, dizendo que estava […]

    Responder

  5. Posted by valnei ines da cruz on 15/03/2014 at 17:00

    a falta de efetivos faz com que os correios perca na entrega de sedex e correspondencia comum a sua eficiencia e rapidez como pede o serviço…

    Responder

  6. Posted by Alex on 14/07/2014 at 14:07

    Correio coisa boa!? ABSURDO! estou esperando um livro ja há um mês quase, que deveria ser entregue em 4 dias úteis! Sabe por que?
    Porque durante a copa, dia de jogo da seleção não é dia útil.
    Dia de jogo na cidade de origem, São Paulo, não é dia útil.
    Dia de jogo na cidade de destino , Porto Alegre, não é dia útil.
    Ou seja, o Correios não é uma empresa pública útil. É um lixo!
    Espero que o próximo presidente do país venda TUDO! chega de funcionários públicos VAGABUNDOS!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: