Resolvi mudar o tema da minha palestra na próxima sexta feira

maxresdefault

Em vez de simbolistas brasileiros, conforme programado, tratarei de Jorge de Lima. No ciclo “Pensar o Brasil”, que coordeno e no qual atuo como conferencista, e que tem lugar no Teatro do Incêndio (link com a notícia a seguir).

Por quê? Pelo seguinte:

  1. Não precisamos ser escravos da cronologia e sempre objetei a ensinarem Literatura como série histórica;
  2. Aprecio Jorge de Lima – é poeta colossal, insuficientemente lido;
  3. Tivemos índios, por Pedro Cesarino, na sessão passada do ciclo “Pensar o Brasil”, e teremos novamente índios, por Sérgio Medeiros, na sexta feira subseqüente. Um dos poemas extensos de Invenção de Orfeu de Jorge de Lima, o XXXI do Canto Primeiro, está glosado como “O índio interior”: vou examinar esse poema e interpretá-lo no contexto do ciclo “Pensar o Brasil”.
  4. Tivemos presença africana no Brasil na primeira sessão do ciclo. Então examinarei Jorge de Lima como afrodescendente (por parte da mãe) criado no sopé da Serra da Barriga, sede dos Palmares de Zumbi, indignado com o preconceito, a intolerância e a perseguição aos sincretismos afro-brasileiros – e não só nos Poemas negros.
  5. Primeiro examinarei o débito de Jorge de Lima com relação á grande matriz simbolista. Depois farei o mesmo com Manoel de Barros. Finalmente, apresentarei uma proposta de releitura do simbolismo brasileiro, tão negligenciado, tão á margem de nossos estudos literários, projetando, por exemplo, o “Eu é um outro” de Rimbaud em Cruz e Souza – e também nos Maranhão Sobrinho, Pedro Kilkerry e Dario Veloso.

A notícia sobre o ciclo “Pensar o Brasil”: https://claudiowiller.wordpress.com/2015/07/27/pensar-o-brasil-poesia-reflexao-e-criacao-palestras-no-teatro-do-incendio/

Sobre Jorge de Lima, já publiquei aqui: http://arcagulharevistadecultura.blogspot.com.br/2015/03/claudio-willer-aproximacoes-jorge-de.html . Ampliarei.

Sobre Manoel de Barros, o artigo mais acessado dos que publiquei em Academia.edu: https://www.academia.edu/4676460/Manoel_de_Barros_novo . Direi outras coisas, desta vez.

Anúncios

2 responses to this post.

  1. Posted by Ieda Estergilda on 02/09/2015 at 15:54

    Grata, Willer, quero mesmo ouvir sobre Jorge de Lima, Manoel de Barros, “pensar o brasil”. Abraço

    Resposta

  2. Legal! Lamento não poder estar lá. Abraço

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: