NO FESTIVAL DE INVERSO DO SESC-RIO: OFICINA DE POESIA E XAMANISMO COM CLÁUDIO WILLER

ONDE: Em Petrópolis, Teresópolis, Nova Friburgo.

QUANDO: de 29 de julho a 06 de agosto de 2017

Será o curso, com adaptações e atualizações, que ofereci recentemente aqui, na Cia. Corpos Nômades. Reproduzo a sinopse, copiada da divulgação do SESC-Quitandinha, de Petrópolis (mas será a mesma nas três localidades).

http://www.festivalsescdeinverno.com.br/programacao/petropolis/oficina-de-poesia-e-xamanismo-com-cl-udio-willer-3661/

A SINOPSE: O que é um xamã? A que modalidades de magos, feiticeiros e sacerdotes se aplica o termo? Até que ponto alguns poetas podem ser identificados a xamãs? O que em suas obras justifica essa associação? Por que uma declaração como “O Eu é um outro” de Rimbaud resume algo típico do xamanismo? Qual a contribuição de Herberto Helder à compreensão das afinidades de poesia e xamanismo? Um poema como “o índio interior” de Invenção de Orfeu de Jorge de Lima pode ser lido como xamânico? O soneto “Versos dourados” de Gérard de Nerval é poesia xamânica? Cabem as associações de Antonin Artaud ao xamanismo? O termo xamã, originariamente aplicado a sacerdotes ou feiticeiros siberianos e uralo-altaicos, deve sua extensão, consideravelmente, a Mircea Eliade, autor de O xamanismo e as técnicas arcaicas do êxtase, livro de 1951. O historiador das religiões examinou iniciações com viagens aos céus e ao centro da terra, subidas e descidas ao longo de um eixo do mundo; experiências de morte e renascimento, destruição e reconstituição do corpo; utilização de substâncias psicoativas; o travestimento ou transexualidade; as provas de aquisição de poderes como profetizar, curar, deslocar-se. E a expressão através de outra linguagem –origem da poesia – possibilitando a comunicação com espíritos, animais, a natureza. Serão utilizados estudos e depoimentos mais recentes, a exemplo de A queda do céu de Davi Kopenawa e do que Viveiros de Castro escreveu sobre xamanismo na Amazônia, e dos estudos, por exemplo, de Piers Vitebski e Jerome Rothenberg. Enriquecem esse exame e tornam mais preciso o uso do termo. Será mostrado de que modo temas e traços do xamanismo podem ser encontradas em uma diversidade de autores, desde Dante Alighieri, passando por William Blake, Gérard de Nerval e Rimbaud, até modernos e contemporâneos como Jorge de Lima, Antonin Artaud, Vicente Huidobro, Herberto Helder, Michael McClure, Gary Snyder, Jerome Rothemberg e Roberto Piva. O objetivo é enriquecer a leitura da poesia, possibilitando enxergar mais sentidos.

A PROGRAMAÇÃO: OFICINA LITERÁRIA | POESIA E XAMANISMO | CLÁUDIO WILLER

Unidade: Sesc Quitandinha. Local: Biblioteca. Data: 29 e 30 de julho. Horário: 10h-13h. Classificação etária: livre

Unidade: Sesc Teresópolis. Local: Biblioteca. Data: 03 e 04 de agosto. Horário: 10h-13h. Classificação etária: livre

Unidade: Sesc Nova Friburgo. Local: Biblioteca. Data: 05 e 06 de agosto. Horário: 10h-13h. Classificação etária: livre

LINKS: . Petrópolis: http://www.festivalsescdeinverno.com.br/programacao/petropolis/oficina-de-poesia-e-xamanismo-com-cl-udio-willer-3661/

Nova Friburgo:  http://www.festivalsescdeinverno.com.br/programacao/nova-friburgo/oficina-liter-ria-poesia-e-xamanismo-cl-udio-willer-93692/

(Teresópolis em construção)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: