Posts Tagged ‘cinema’

Surrealismo e cinema, a série toda

Saiu na Tertúlia de Renato Alessandro dos Santos, profusamente ilustrada (pesquisou, achou imagens com valor documental) e sonorizada:

http://www.tertuliaonline.com.br/postagem/ver/330

É complementada por outro artigo na mesma página de internet, sobre Buñuel, já comentada aqui:

http://www.tertuliaonline.com.br/postagem/ver/326

A intenção, entre outras: mostrar que surrealismo não é um “estilo” ou “estética”, porém um modo de enxergar, de relacionar-se com o mundo. Já havia exposto isso em cursos e palestras – a propósito, faz algum tempo que não me chamam parar tratar de surrealismo. Última vez, com o Teatro do Incêndio em 2011 / 2012 – foi produtivo. Sobre cinema – “arte surrealista”, para Ado Kirou – é claro que ainda tenho mais.

Cinema e Geração Beat: artigos

Publiquei em Cronópios dois artigos sobre cinema e Geração Beat.

Um deles, de março de 2011, e que já havia saído na revista Reserva Cultural:

http://www.cronopios.com.br/site/critica.asp?id=5456

Outro, novo, de agora, sobre esses recentes Na estrada e Uivo.

http://www.cronopios.com.br/site/critica.asp?id=5458

Acho que convém ler primeiro um, depois o outro. Ou vice-versa. De qualquer modo, há um fio condutor entre ambos.

Falarei mais sobre beats, cinema, On the Road e temas afins na próxima sexta-feira, dia 3 de agosto, em uma reunião na Gibiteria da Praça Benedito Calixto, junto com o autor de quadrinhos João Pinheiro. Divulgarei release.

Em tempo (postado no dia seguinte): Comentário de Gabriel Pinezi acrescenta, reforça minha argumentação – por isso, acrescento-o ao corpo deste ‘post (vejam também, na sequência, o comentáriod e João Pinheiro, que adaptou Kerouac para quadrinhos)’:

Ao assistir “Uivo”, de Rob Epstein, também fiquei com a impressão de que os personagens eram estáticos e sorridentes demais… Ginsberg me pareceu sempre, pelas leituras, uma pessoa bastante ativa, bem menos recatado do que aquele Ginsberg do filme, fazendo chá e “jogando conversa fora”.

Fico feliz de ter contribuído com meu comentário sobre a crítica literária. Para quem quiser assistir às aulas de Amy Hungerford sobre Kerouac e comprovar por si mesmo, pode encontrá-las nesse link: http://www.youtube.com/watch?v=4kgGrgF3JhQ

A respeito da faceta mística/religiosa de Kerouac: é realmente impressionante que isto não apareça no filme de Salles, sendo que não só George Shearing e Slim Gaillard são descritos como Deus, mas também o próprio Neal Cassady / Dean Moriarty, figura central do romance. Três passagens que marquei:

“Entre miríades de partículas de radiação celestial, tive de me esforçar para distinguir a fisionomia de Dean, e ele parecia Deus!” (p.345, na edição de bolso da L&PM)

“Ali estava um BEAT – a raiz, a alma da beatitude. Quais seriam seus profundos conhecimentos? Ele estava tentando me dizer, com todas as suas forças, o que ele estava sabendo, e era exatamente isso que eles invejavam em mim, a posição que ocupava ao lado dele, defendendo-o e sorvendo sua sabedoria como outrora eles haviam tentado fazer.” (p.241)

“Dean, que possuía a energia vibrante de uma nova espécie de santo americano” (p.61)

PARA CARLOS REICHENBACH, DEPOIS DE ASSISTIR A UM DE SEUS FILMES

(Quando foi que escrevi ? na década de 1980 ou de 1990?  após assistir a Filmedemência? Faz parte de uma série chamada “Cinemas”, sairá em “A verdadeira história do século 20”, meu próximo livro de poesias. Ainda escreverei sobre Carlão – por enquanto, deixo postado o poema, in memoriam )

           ensinar a enxergar

           é não ter medo dos símbolos

           ver o mundo com olhos de cineasta

           ver o cinema com olhos de poeta

           saber que a força das operações mágicas

                                                                           está em sua repetição

           e o alto é o baixo e o extremo mal é o bem

           saber que sempre existiu – apenas isso – um fio sobre o abismo

           e atravessá-lo é o mesmo

                                                            que percorrer a cidade

                                                                                                          ao acaso

           e que o pleno é o vazio

           pois também no cinema

           há bruxos

           grávidos de imagens

           explodindo em metáforas e visões

           fazendo que a linguagem fale

                                                     através das cores

           mostrando como achar

                                                      as pistas dos caminhos subterrâneos

 

Provincianismo e baixo populismo

Sobre esse recente cancelamento do polo de produção de cinema e do festival de Paulínia: provincianismo, demagogia e baixo populismo são males que afetam nossas administrações municipais. Normalmente, em estreita parceria com a corrupção, a ladroeira pura e simples. Por exemplo, esses shows em que, invariavelmente, há acerto entre administradores, que ficam com bastante troco, e empresários ou produtores do espetáculo.

A propósito, repito: Carpinejar fez muito bem em reclamar e dar escândalo no caso de Bento Gonçalves, devidamente apoiado pela Associação Gaúcha de Escritores. Onde já se viu, R$ 1.000,00 para cada escritor convidado, alegando pouca verba, e aquela nota alta, R$ 170.000,00, para um espetáculo musical..! (show de Gabriel o Pensador)

Temos discutido – e devemos discutir mais ainda – a gestão cultural federal (vou retornar a esse assunto), algumas estaduais e de algumas capitais. mas é preciso olhar os milhares de municípios que compõem o Brasil – boa parte, com administrações jogando dinheiro fora e uma consciência cultural nula, quando não negativa, como se vê em Paulínia. Principalmente, municípios beneficiados por royalties e outras fontes de arrecadação alta, e que desperdiçam dinheiro público em bobagens.

A propósito: quem quiser saber mais sobre Bento Gonçalves, em http://oglobo.globo.com/blogs/prosa/posts/2012/04/23/cache-de-gabriel-pensador-em-evento-literario-gera-polemica-441654.asp

E quem quiser mais sobre Paulínia: http://oglobo.globo.com/blogs/prosa/posts/2012/04/23/cache-de-gabriel-pensador-em-evento-literario-gera-polemica-441654.asp