Posts Tagged ‘Claudio Willer palestra’

RIMBAUD E RESISTÊNCIA / ALQUIMIA DO VERBO: UMA PALESTRA

2 Rimbaud download (3)

Será amanhã, dia 24/10, das 19h30 às 21 h.

Informa Matheus Chiaratti:

Arte_Passagem convida o público para a aula aberta com o poeta Claudio Willer: RIMBAUD e RESISTÊNCIA.
“A Alquimia do Verbo”
Arthur Rimbaud é considerado o primeiro poeta da modernidade, com uma obra incendiária e precoce, questionadora da ordem e da sociedade do final do século XIX. Passados quase cento e cinquenta anos desde “Iluminuras”, a atualidade da sua poesia inspira rebeldia e questionamento em tempos sombrios.
A aula será ministrada no ateliê 906, no edifício galeria Califórnia, e é necessário confirmar a presença através do e-mail arte.passagem@gmail.com; pede-se também, gentilmente, a colaboração de R$15 por pessoa.
Venham todxs. Ele não.

Também está em ‘eventos’ no Facebook: https://www.facebook.com/events/364978190922031

Lembrando, Matheus e Arte-Passagem haviam promovido comigo aquela concorrida sessão sobre acaso objetivo no Tapera Taperá, há duas semas.  Repitamos. Prossigamos.

Surrealismo prossegue

Corpos Nomades 08 10 18-WA0013

Este post, só para ficar registrada a bela foto de minha palestra de surrealismo de segunda feira passada, dia 8, na Cia. Corpos Nômades. Valoriza / destaca as obras que comentei. Feita por João Andreazzi – como podem ver, talentoso fotógrafo e não só encenador / criador teatral.

Segunda feira próxima tem mais (outras infos nos posts precedentes aqui).

Poesia e xamanismo em Brasília (amanhã)

Sabendo da minha vinda a Brasilia para o simpósio Devorando Artaud, Ian Viana & friends preparam isto, de bate-pronto. Gostei. Levarei exemplares de Estranhas Experiências para autografar:

Xamanismo em Brasilia

Informam os organizadores:

Uma surpresa maravilhosa!

Amanhã receberemos Claudio Willer (SP) para a palestra “Poesia e Xamanismo”.

Willer é um dos principais nomes da literatura brasileira. Como poeta,  distingue-se pela ligação com o surrealismo e a geração beat. Ao lado de Sergio Lima e Roberto Piva, é um dos únicos poetas brasileiros a receber menção do periódico francês La Bréche – Actión Surrealisté, dirigida por André Breton.

Co-editou, com Floriano Martins, a revista eletrônica Agulha, de 1999 a 2009. Ministrou inúmeros cursos e palestras e coordenou oficinas literárias em universidades, casas de cultura e outras instituições.

Sobretudo, Willer é poeta que, sem sombra de dúvidas, transforma sua vida em obra.

“poesia é isso, é isto, também é aquilo, é agora

poesia é o que sempre soubemos

o conhecimento animal”.

Ian Viana

No Setor

Coletivo Poético Assum Preto

O I Simpósio Internacional Devorando Artaud: 70 anos

evento Artaud

Em Brasilia. Dias 13 e 14 deste mês. Auditório Pompeu de Souza na UnB. A seguir, a programação. Abro. Alex Galeno, Fagner França e Gustavo Castro, organizadores, também prepararam a substanciosa coletânea Antonin Artaud: Insolências (Moinhos, 2018),  já noticiada neste blog. Em um e outro, evento e coletânea, reunião de conhecedores de Artaud.

A propósito desses 70 anos , em breve teremos relançamento da minha coletânea Escritos de Antonin Artaud, de 1983 (e reedições), publicada pela L&PM. Noticiarei, é claro. Relendo, vi que teria pouca coisa a modificar, não obstante a quantidade de contribuições importantes, desde então.

Programação do I Simpósio Internacional Devorando Artaud: 70 anos

Organização: Alex Galeno, Ciro Inácio Marcondes, Fagner França e Gustavo Castro.

Data: 13 e 14 de setembro de 2018

Local: Brasília (UnB)

Programação 13/09

 10h – Conferência de abertura com o poeta, tradutor, professor e escritor Cláudio Willer.

Tema: Visões de Artaud

 12h00 – Intervalo

14h – Mesa redonda 1:

Alquimias do verbo

Gustavo Castro (UnB) – Tema: Artaudidades

Hermano Machado (UFRN/UECE) – Tema: Heterotopias no teatro: a concepção de Artaud

Florence Dravet (UCB) – Tema: Ao Sul da Carne

16h – Mesa redonda 2:

Pestes

Vanessa de Moraes (UCB) – Tema: A fecalidade em Artaud e os homens sem juízo

Alex Galeno (UFRN) – Tema: Artaud: Revolta, fábrica de ordem e cultura

 Programação 14/09

 10h – Mesa redonda 3:

Convulsões Cênicas

Ciro Inácio Marcondes (UCB) – Gesto e morte na Joana d’Arc de Dreyer: Artaud no cinema

Fagner França (UFRN) – Tema: Cinema da crueldade como experiência do pensamento

Gerlúzia Azevedo (IFRN) – Tema: O subjétil e a estética da crueldade artaudiana

 12h – Intervalo

 14h – Conferência com o poeta, pesquisador e ator Adeilton Lima

Tema: Poéticas do delírio, escritas delirantes: Antonin Artaud e Glauber Rocha

16h: apresentação da peça Para acabar com o julgamento de deus, com Adeilton Lima, seguida de conversa com público.

 17h30: Lançamento do livro AntoninArtaud – Insolências (Orgs. Alex Galeno, Fagner França e Gustavo Castro.)

 

 

POESIA E XAMANISMO NO COLÓQUIO DE ESTÉTICA INDÍGENA DA FAFIL / UFG EM GOIÂNIA

Estetica indígena

Falo dia 2 de agosto, quinta feira, a partir das 19 h, na Galeria da FAV. Minha palestra será complementada por uma fogueira, peixe, tapioca, tacacá e sucos. Programação saborosa. Se pudesse, assistiria aos três dias desse colóquio da Universidade Federal de Goiás, para aprender mais sobre tópicos que me interessam vivamente. Vejam, a seguir, o extenso cardápio. Mais informações em http://www.filosofia.ufg.br/n/105796-iii-coloquio-de-estetica-da-fafil-ufg-estetica-indigena-programacao-completa:

ESTÉTICA INDÍGENA
III Colóquio de Estética da FAFIL/UFG
2 a 4 de agosto de 2018
Locais: Núcleo Takinahakỹ de Formação Superior Indígena (NTFSI), Cine UFG, Prédio de Humanidades (Auditório e salas), Galeria da FAV.

Dia 02/08:   Local: Auditório do Prédio das Humanidades 8:15 – Abertura oficial do evento 8:30 – Conferência: As artes indígenas: referentes sociais e cosmológicos, Lúcia Hussak van (Pesquisadora Titular do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI, vinculada ao Museu Paraense Emilio Goeldi)  Mediação – Carla Milani Damião (UFG) 09:00 – 10:00– Mesa redonda I: Expressões estéticas, Maria Luiza Rodrigues de Souza: (FSCUFG), Néle Azevedo (UNESP) e Kássia Oliveira Borges (UFAM).  Mediação – Samuel Gilbert de Jesus (FAV-UFG) 10:15 – 12:45 – Mesa redonda II: Relato sobre a produção do documentário A cultura do beijú – Povo Waura, Amatu Waura (EI-UFG) e Mauricio Kamayura (EI-UFG), Imagem e sonho: o diálogo da Claudia Andujar com os Yanomami, Raquel Imanishi Rodrigues (UnB)  Mediação – Rodrigo Cássio Oliveira (UFG)  12:45– 14:00 – Almoço  14:00 – 16:30 – Mesa redonda III: Imagens ameríndias, outro paradigma para pensar a arte, Rachel Costa (IFAC-UFOP), Auto-definições literárias, Tarsila Couto (FL-UFG) e Estética Boe-Bororo: o rito funeral como afirmação da vida, Alice Lino Lecci (UFMT).   Mediação – Luciana de Oliveira Dias (FL-UFG)  16:30 – 17:00 – Pausa

Local: Galeria da FAV: 17:00 – 18:30 – Conferência-conversa com Edgard Franco (FAV-UFG) – Arte, Hipertecnologia & Tecnoxamanismo: Processos criativos artísticos com Ciberpajelanças

19:00 – 21h – Abertura da exposição na FAV Performance Branco pureza sobre terra vermelha, Rubens Pillegi  Leitura de Cláudio Willer: Poesia e xamanismo Confraternização (fogueira, peixe, tapioca, tacacá e sucos)

Dia 03/08:  Local: Prédio das Humanidades

8:00 – 9:30 – Comunicações (Sala de defesas do PPGFIL) Coordenação: Lorraynne Bezerra Freitas 8:00 – 8:30 – As máscaras de Tawã e Iraxão: os artefatos encantados entre os Tapirapé – Vandimar Marques Damas

8:30 – 9:00 – Os Apyãwa e as imagens audiovisuais – Paula G. Viana dos Reis (UFMG) 9:00 – 9:30 – O nome vermelho de Yosano Akiko – Herick Martins Schaiblich (Graduação/UFG)

9:30 – 10:00 – Pausa  Coordenação: Bergkamp Pereira Magalhães

10:00 – 10:30 – Os donos do Brasil – João Lourenço Borges Neto (UFG)

10:30 – 11:00 – Vestires indígenas: reflexões iniciais sobre uma história da indumentária no Brasil – Rita Morais de Andrade (UFG)

11:00 – 11:30 – O rigoroso olhar índio: sobre “o quem das coisas” – Mariana Andrade (UFG)

11:30 – 12:00 – A estética da resistência e memória utópica em três filmes sobre o pós-maio de 68 – Rita Márcia Magalhães Furtado (UFG)

8:00 – 9:30 – Comunicações (Sala de defesas da FCS I) Coordenação: Kéllen A. Nascimento Ribeiro 8:00 – 8:30 – Filosofia com cinema – Rafael Fernandes (Unicamp/Fapesp)

8:30 – 9:00 – Imagens do pensamento selvagem: estética e cosmopolítica entre povos nômades da floresta – Francisco Augusto Canal Freitas

9:00 – 9:30 – Estética tropical. Objetos e ontologias culturais não-ocidentais (uma introdução) – Márcia Aurélio Baldissera

9:30 – 10:00 – Pausa Coordenação: Rámon Pereira Ataíde  10:00 – 10:30 – A escrita como cena substitutiva da pólis: memória, silêncio e testemunho em Salinas Fortes – Gilmário Guerreiro da Costa (UFG)

10:30 – 11:00 – “Que tipo de conceito é arte?”: a dissolução do problema da definição em Morris Weitz – Fernanda Azevedo Silva (UFG)

11:00 – 11:30 – Naveguei de Londres à Pérsia: devaneios errantes e flâneuses na obra de Annemarie Schwarzenbach e Virginia Woolf -Vrndavana Vilasine Laune Correia (UnB)

11:30 – 12:00 – O corpo como “texto-vivo”: uma leitura merleau-pontiana da obra Mulheres de Cinzas: as areias do Imperador, de Mia Couto – Iracy Ferreira dos Santos Júnior (UFOP)

8:00 – 9:30 – Comunicações (Sala de defesas da FCS II) Coordenação: Hugor Henrique Afonso Dias 8:00 – 8:30 – Quilombismo, descolonização e psicologia colonial: uma abordagem do pensamento negro de Abdias do Nascimento e Frantz Fanon – André Luiz de Souza Filgueira (PUC-Go/UnB

8:30 – 9:00 – A influência indígena na formação cultural do povo do sudoeste goiano – Eduardo Ferraz Franco (UFG)

9:00 – 9:30 – A arte rupestre no cotidiano: percepções estéticas da comunidade de Serranópolis – Goiás – Pollyanna de Oliveira Brito Melo (UFG)

9:30 – 10:00 – Pausa

Coordenação: Guilherme Bruno Giani 10:00 – 10:30 – O que não vemos, O que nos olha: Regimes do Visível nas Pinturas Anacé. Hércules Gomes de Lima (UFG) 10:30 – 11:00 – Grafismo indígena gavião: a pintura como elemento feminino – Ana Paula de Souza Fernandes (Univ. Federal do Sudeste do Pará)

11:00 – 11:30 – Música Timbira – Veronica Aldé

11:30-13:30 – Almoço

13:30-15:00 – Espaço de oficinas de criação com indígenas (Local: Núcleo TAHINAHAKY) 15:00 – 16:30 – Mesa IV – Pensamento em busca de raízes, Leca Kangussu (UFOP), Artes visuais, escritas de vida e decolonialidade, Manoela A. Afonso (FAV-UFG), Mirna Anaquiri Kambeba Omágua (FAV-UFG)  16:30 – 17:00 – Pausa  17:00 – 18:30 – Mesa redonda V – Autoria e expressões estéticas/artísticas indígenas em experiências pedagógicas interculturais, André Marques do Nascimento (EI-UFG), Lorena Dall’ara Guimarães (EI-UFG) e Arthur Bispo de Oliveira/Ricardo Kutokre Canela (EI-UFG).  Mediação – Carmelita Brito Felício (UFG/PPGFIL)

 

 

Dia 04/08: Programação: Fabiana Assis (PPGACV) e Benedito Ferreira Local: Cine-UFG (Auditório da FL)  8:30 – 10:00 – Itão kuegü: as hiper mulheres (2011) de Takumã Kuikuro, Carlos Fausto e Leonardo Sette (1h20) 10:00-10:30 – Pausa  10:30 – 12:30 – Corumbiara (2009) de Vincent Carelli (1h57) 12:30-14:00 – Almoço  14:00 – 16:00 – Cultura do Beiju – Povo Waura (2017) de professores e alunos do Núcleo de Formação Superior Indígena Takinahaky (00:42) e apresentação de produção áudio visual dos alunos indígenas (00:20) 16:00 – 16:20 – Pausa  16:30 – 17:45 – Taego Ãwa (2017) de Henrique Borela e Marcela Borela (1:15) 17:50 – 18:30 – Lançamento do documentário ITO (2017) de Takumã Kuikuro (00:22)   18:30 – 20:00 – Mesa VI – com convidados cineastas Takumã Kuikuro, Henrique Borela e Marcela Borela.

 

APROXIMAÇÕES ÀS VANGUARDAS: um novo curso ou ciclo de palestras

Étienne_Carjat,_Portrait_of_Charles_Baudelaire,_circa_1862

Programamos algo diferente, entre o curso típico e o ciclo de palestras. Ocasião para conversar com o público, mostrar poesia – e também artes visuais – e destacar alguns tópicos originais, polêmicos ou instigantes.

Informa a Casa Mario de Andrade:

CURSO: APROXIMAÇÕES ÀS VANGUARDAS

Por Claudio Willer

Quando: Sábados, 5 e 19 de maio e 2 e 16 de junho, das 15h às 17h

Onde: Casa Mário de Andrade, Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda

Telefone: (11) 3666-5803 / 3826-4085

Inscrição Online

O que vai ser:

Uma série de palestras ministradas pelo poeta, tradutor e crítico literário Claudio Willer, pretende revelar ao público o sentido das vanguardas artísticas do século XX. Seguem-se os temas de cada encontro:

5 de maio: Dos simbolistas e decadentistas às vanguardas: quando a poesia enlouqueceu. A contribuição decisiva de Baudelaire. Lautréamont, Rimbaud; o enorme Alfred Jarry.

19 de maio: Todos os tempos e todos os lugares na poesia: dois poemas matriciais, “Zone” de Guillaume Apollinaire e The Waste Land, de T. S. Eliot.

2 de junho: Surrealismo: desfazendo alguns equívocos. O Brasil é um “país surrealista”? (Não, não é….). A complexa relação de poesia e vida.

16 de junho: Vanguardas e a recuperação do arcaico. Poetas-xamãs. Há ou houve uma segunda vanguarda? (Beats, surrealistas portugueses etc.).

Venham. Informem a interessados.

 

A palestra sobre surrealismo e cinema

1017356404_740215_0000000000_noticia_normal

Falarei – e mostrarei imagens – encerrando – ‘coroando’, gostaram do chavão? – o ciclo ‘Navalha no olho – o exercício do olhar no cinema surrealista’ que preparamos, Carlos Gabriel Pegoraro e eu. No Centro Cultural São Paulo, sala Lima Barreto, amanhã, sexta feira, às 19h10.

Precede nova exibição de ‘A idade do ouro’, ‘Um cão Andaluz’ e ‘A bela da tarde’ de Buñuel. Tratarei – e do restante, também A foto é da homenagem a Buñuel, com outros diretores- seu admirador especial Alfred Hitchcock (comentarei), Billy Wilder, George Stevens, William Wyler, George Cukor, Robert Wise e outros, inclusive seu roteirista Carrière e o produtor Silverman – quando ‘O discreto charme da burguesia’ ganhou o Oscar em 1972. John Ford também compareceu, mas, doente, saiu antes, levado pelo enfermeiro.