Posts Tagged ‘Antonin Artaud’

NOVAS PALESTRAS SOBRE POESIA E XAMANISMO

1 trikster

Onde: CASA DAS ROSAS, ESPAÇO HAROLDO DE CAMPOS DE POESIA E LITERATURA, +55 (11) 3285.6986 | 3288.9447 • contato@casadasrosas.org.br  Av. Paulista, 37 • Bela Vista • CEP 01311-902 • São Paulo • Brasil

Quando: Terças-feiras, 9, 16, 23 e 30 de outubro de 2018, das 19h às 21h

Informam os organizadores (reparem no link para inscrições): O ciclo de palestras mostrará como alguns poetas podem ser identificados a xamãs, e certos aspectos do xamanismo podem ser encontrados em autores como Dante Alighieri, William Blake e Rimbaud, bem como em modernos e contemporâneos como Jorge de Lima, Antonin Artaud, Herberto Helder e Roberto Piva.

Faça sua inscrição online ou presencialmente, na recepção da Casa das Rosas, a partir de 15/9/2018, até o preenchimento das vagas.

É necessário confirmar a inscrição frequentando a primeira aula de cada curso. Faltar na primeira aula implica o desligamento automático do aluno.

Claudio Willer é poeta, ensaísta e tradutor, ligado à criação literária mais rebelde, ao surrealismo e geração beat. Livros recentes: A verdadeira história do século 20 (Córrego, 2016, Apenas Livros, Lisboa, 2015); Os rebeldes: Geração Beat e anarquismo místico, ensaio (L&PM, 2014); Manifestos, 1964-2010, (Azougue, 2013), Um obscuro encanto: gnose, gnosticismo e a poesia moderna (Civilização Brasileira, 2010); [etc]

Reparem na ilustração que escolhi, desta vez. Um “joker”, coringa, figura de baralhos e do tarô inspirado no “triskster” por sua vez associado a xamanismos. Acho que conseguirei adicionar algo ao que tenho dito sobre Antonin Artaud e xamanismo (falei na semana retrasada em Brasília), insistir na minha interpretação de Jorge de Lima como poeta xamânico, e examinar questões perturbadoras, como essa do mesmo xamanismo ocorrer no âmbito de diferentes cosmogonias e teogonias.

O I Simpósio Internacional Devorando Artaud: 70 anos

evento Artaud

Em Brasilia. Dias 13 e 14 deste mês. Auditório Pompeu de Souza na UnB. A seguir, a programação. Abro. Alex Galeno, Fagner França e Gustavo Castro, organizadores, também prepararam a substanciosa coletânea Antonin Artaud: Insolências (Moinhos, 2018),  já noticiada neste blog. Em um e outro, evento e coletânea, reunião de conhecedores de Artaud.

A propósito desses 70 anos , em breve teremos relançamento da minha coletânea Escritos de Antonin Artaud, de 1983 (e reedições), publicada pela L&PM. Noticiarei, é claro. Relendo, vi que teria pouca coisa a modificar, não obstante a quantidade de contribuições importantes, desde então.

Programação do I Simpósio Internacional Devorando Artaud: 70 anos

Organização: Alex Galeno, Ciro Inácio Marcondes, Fagner França e Gustavo Castro.

Data: 13 e 14 de setembro de 2018

Local: Brasília (UnB)

Programação 13/09

 10h – Conferência de abertura com o poeta, tradutor, professor e escritor Cláudio Willer.

Tema: Visões de Artaud

 12h00 – Intervalo

14h – Mesa redonda 1:

Alquimias do verbo

Gustavo Castro (UnB) – Tema: Artaudidades

Hermano Machado (UFRN/UECE) – Tema: Heterotopias no teatro: a concepção de Artaud

Florence Dravet (UCB) – Tema: Ao Sul da Carne

16h – Mesa redonda 2:

Pestes

Vanessa de Moraes (UCB) – Tema: A fecalidade em Artaud e os homens sem juízo

Alex Galeno (UFRN) – Tema: Artaud: Revolta, fábrica de ordem e cultura

 Programação 14/09

 10h – Mesa redonda 3:

Convulsões Cênicas

Ciro Inácio Marcondes (UCB) – Gesto e morte na Joana d’Arc de Dreyer: Artaud no cinema

Fagner França (UFRN) – Tema: Cinema da crueldade como experiência do pensamento

Gerlúzia Azevedo (IFRN) – Tema: O subjétil e a estética da crueldade artaudiana

 12h – Intervalo

 14h – Conferência com o poeta, pesquisador e ator Adeilton Lima

Tema: Poéticas do delírio, escritas delirantes: Antonin Artaud e Glauber Rocha

16h: apresentação da peça Para acabar com o julgamento de deus, com Adeilton Lima, seguida de conversa com público.

 17h30: Lançamento do livro AntoninArtaud – Insolências (Orgs. Alex Galeno, Fagner França e Gustavo Castro.)

 

 

Uma nova coletânea sobre Antonin Artaud

antonin-artaud-insolências-livro

É Antonin Artaud: Insolências, organizada por Alex Galeno, Fagner França e Gustavo Castro, Belo Horizonte, Editora Moinhos, 2018, incluindo meu artigo “Mais sobre Antonin Artaud: a transcrição de uma palestra” –  a palestra que dei em dezembro de 2014 na Oficina Cultural Oswald de Andrad, promovida pela Taanteatro Companhia, de Maura Baiocchi e Wolfgang Pannek, como parte do ciclo ‘Debates: pensamentos em performance’ e do lançamento de “cARTAUDgrafia” – projeto coreográfico da Taanteatro Companhia sobre a obra e vida de Antonin Artaud, logo após o espetáculo “Androgyne – Sagração do fogo”. Também foi gravada, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=YbMBNG-24iw&feature=youtu.be . Claro que, transcrito, passa a ter outra legibilidade.

Para terem uma ideia de como Antonin Artaud: Insolências é substanciosa, transcrevo a seguir o índice do livro. Satisfação em fazer parte, pois estou em ótima companhia. Estudiosos e interessados em Artaud não poderão queixar-se de falta de informação adicional.

EM TEMPO: Este ano sai nova edição de meu Escritos de Antonin Artaud de 1983 (e reedições), beneficiado pela entrada em domínio público. Já combinei com a L&PM. Com mínimas revisões / atualizações. Incrível como, com a dificuldade de acesso à reduzida bibliografia então disponível, acertei a mão – está valendo, penso.

O sumário de Antonin Artaud: Insolências:

Prefácio, Maria da Conceição de Almeida e Edgard de Assis Carvalho; Apresentação, Alex Galeno, Fagner França e Gustavo Castro.

ALQUIMIAS DO VERBO

In(atualidades) artaudianas, Entrevista com Florence de Mèredieu

 

Mais sobre Antonin Artaud: a transcrição de uma palestra, Cláudio Willer.

 

Testemunho de um percurso: é possível pensar com Artaud? Ana Kiffer

A escrita e seu duplo, Gustavo Castro

Artaud e o Teatro Total, Hermano Machado

CONVULSÕES CÊNICAS

“A derme da realidade” (Artaud, Benjamin e o cinema) , Evelyne Grossman

Artaud e o cinema: histórias cruzadas, Fagner França

Glauber Rocha e Antonin Artaud: diálogos viscerais, Adeilton Lima

Antonin Artaud: representações do corpo no teatro e no cinema, Alberto da Silva e Erico José Souza de Oliveira.

O subjétil e a estética da crueldade artaudiana, Gerlúzia Azevedo

O ser e a merda para homens sem juízo: Artaud, Zé Celso e Flávio de Carvalho, Vanessa Daniele de Moraes

PESTES

Além da pulsão de morte: Artaud com Lacan, Camille Dumoulié.

Artaud, a peste , Camille Dumoulié

Ao Sul da carne de Antonin Artaud: para uma metafísica mito-lógica, Florence Dravet

O impoder das palavras, Raymonde Carasco

Antonin Artaud: o poeta, khôra e a erva suplementar da poesia, Ilza Matias.

O que vem depois motiva o teatro, sem parecer sobreposto: considerações sobre a estratégia de antecipação da “Escrita do Suporte ” de Antonin Artaud, Lígia Winter

Artaud – vida insolente, Alex Galeno

 

Transcrevo, da apresentação:

Os textos aqui reunidos têm como substrato pensar a obra artaudiana no contexto de um sujeito e de uma cultura da insolência. Além disso, no plano mais individual, é preciso também descolar Artaud de certas qualificações mistificadoras como a do sujeito louco, drogado, psiquiatrizado e atormentado. Certo, isso tudo existiu em sua vida. Mas Artaud é isso e além disso. É também, por exemplo, o Nanaki das suas cartas à mãe, Euphrasie Nalpas, à irmã, Marie-Ange, à sua amada Gênica Athanasiou e aos amigos André Breton, Jean Palhan, Jean-Louis Barrault, entre outros.

Por isso dizemos que sua obra precisa ser traduzida e lida no Brasil, para que possamos evitar as reduções do autor a algumas passagens de sua biografia em detrimento de seu legado. Nesse sentido, faz-se urgente a sua divulgação no país. Dos 28 volumes de suas obras completas organizadas por Paule Thévenin e publicadas pela Gallimard até o momento, conhecemos apenas alguns escritos esparsos traduzidos para o português.

MAGIA E CRIAÇÃO POÉTICA: O XAMANISMO

Peço ampla divulgação desta palestra. Venham. Tenho certeza de que apreciarão:

O que é um xamã? A que modalidades de magos, feiticeiros e sacerdotes se aplica o termo? Até que ponto alguns poetas podem ser identificados a xamãs? O que em suas obras justifica essa associação? Por que uma declaração como “O Eu é um outro” de Rimbaud resume algo típico do xamanismo? Qual a contribuição de Herberto Helder à compreensão das afinidades de poesia e xamanismo? Um poema como “o índio interior” da Invenção de Orfeu de Jorge de Lima pode ser lido como xamânico? O soneto “Versos dourados” de Gérard de Nerval é poesia xamânica? Cabem as associações de Artaud ao xamanismo?

 

Local: Rua Salvador Simões, 918, no Ipiranga Business Center (a um quarteirão da estação de Metrô Alto do Ipiranga, saída na Rua Gentil de Moura) (agradeço hospitalidade e cederem espaço)

Data e horário: Sábado, dia 23 de julho de 2016, das 18h00 às 20h30 (com intervalo para lanche).

Valor do ingresso R$ 12, 00.

Capacidade do Auditório- 60 lugares.

Haverá projeção de audiovisual, imagens e textos.

 

Como fazer sua Inscrição?

Para efetuar sua inscrição você deverá se cadastrar no “Fale Conosco” pelo link: http://www.ipirangabusinesscenter.com.br/#!blank-3/lb231 .

O valor de contribuição de R$12,00 deverá ser pago no dia do evento. Qualquer dúvida entre em contato pelo e-mail: contato@ipirangabusinesscenter.com.br ou pelo telefone 50616205 e fale com Philippe

SINOPSE

O termo xamã, originariamente aplicado a sacerdotes ou feiticeiros siberianos e uralo-altaicos, deve sua extensão, comsideravelmente, a Mircea Eliade, autor de O xamanismo e as técnicas arcaicas do êxtase, livro de 1951. O historiador das religiões registrou suas características em povos e sociedades de diferentes lugares e períodos. Examinou iniciações com viagens aos céus e ao centro da terra, subidas e descidas ao longo de um eixo do mundo; experiências de morte e renascimento, destruição e reconstituição do corpo; utilização de substâncias psicoativas; o ocasional travestimento ou transexualidade; as provas de aquisição de poderes como profetizar, curar, deslocar-se. E a expressão através de outra linguagem –origem da poesia – possibilitando a comunicação com espíritos, animais, a natureza.

Serão citados estudiosos mais recentes, enriquecendo esse exame e tornando mais preciso o uso do termo. E será mostrado de que modo temas e traços do xamanismo podem ser encontradas em uma diversidade de autores, desde Dante Alighieri, passando por William Blake, Gérard de Nerval e Rimbaud, até modernos e contemporâneos como Jorge de Lima, Antonin Artaud, Vicente Huidobro, Herberto Helder, Michael McClure, Jerome Rothemberg, Roberto Piva e outros mais recentes. O objetivo é enriquecer a leitura da poesia, possibilitando enxergar mais sentidos.

O CONFERENCISTA: Claudio Willer é poeta, ensaísta e tradutor, ligado à criação literária mais rebelde, ao surrealismo e geração beat. Livros recentes: A verdadeira história do século 20, poesia (Apenas Livros, Lisboa, 2015); Os rebeldes: Geração Beat e anarquismo místico, ensaio (L&PM, 2014); Manifestos, 1964-2010, (Azougue, 2013), Um obscuro encanto: gnose, gnosticismo e a poesia moderna (Civilização Brasileira, 2010); Geração Beat (L&PM Pocket, 2009); Poemas para leer en voz alta (Andrómeda, San José, Costa Rica, 2007); Estranhas Experiências, poesia (Lamparina, 2004). Traduziu Lautréamont, Allen Ginsberg, Jack Kerouac e Antonin Artaud. Publicado em antologias e periódicos no Brasil e em outros países. Presidiu a UBE, União Brasileira de Escritores, em vários mandatos. Doutor em Letras na USP, onde completou pós-doutorado. Deu cursos, palestras e coordenou oficinas e outras atividades em uma diversidade de instituições culturais. Mais em https://claudiowiller.wordpress.com/about .

 

Nova palestra sobre Antonin Artaud: após espetáculo do Taanteatro, na Cia. Corpos Nômades

(haverá postagem frenética neste blog por causa da agenda intensa deste fim de mês : esta palestra, apresentação no próximo domingo em Bragança Paulista, oficina de criação na UFSCar em São Carlos, a coletânea ‘Ásperos perfumes’ com meu ensaio sobre criação literária e algumas drogas, outras novidades interessantes)

Será esta sexta feira, dia 22 de maio. Em O Lugar, após cARTAUDgrafia 1 – uma correspondência, do Taanteatro de Maura Baiocchi e Wolfgang Pannek, que começa às 21 h. Tudo sobre o espetáculo no informe a seguir.

Já havia apresentado palestra após espetáculo sobre Artaud do Taanteatro. Em dezembro, registrada neste vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=YbMBNG-24iw&feature=youtu.be

Desta vez, falarei uns 38 minutos – ou uns 43? Comentarei as cartas de Artaud a Jacques Rivière e sua identificação com os poetas malditos.

escritos_de_antonin_artaud_ISBN_m

O informe:

cARTAUDgrafia 1 – uma correspondência – Primeiro espetáculo da trilogia cARTAUDgrafia, projeto da Taanteatro Companhia para 2015, aborda a vida e a obra de Antonin Artaud. cARTAUDgrafia 1 traz a correspondência de Artaud com Jacques Rivière, editor da Nouvelle Revue Française, nos anos 20. Esta correspondência nunca foi traduzida e tampouco encenada no Brasil. O espetáculo evoca a infância de Artaud, suas origens, os tratamentos eletro-terapêuticos aos quais foi submetido na juventude por sofrer de meningite; a crítica artaudiana das instituições da família, do Estado e do racionalismo ocidental. Traz ainda seu panteão de “poetas malditos” – habitado por Baudelaire, Nerval, Nietzsche, Lautréamont, Rimbaud, Poe, Jarry – considerados por Artaud como os “campos de batalha” da cisão entre corpo e espírito.

cARTAUDgrafia 1: Uma Correspondência – Temporada:22 a 31 de maio de 2015 – sexta e sábado às 21h, domingo às 20h.-Classificação 10 anos | 60 minutos

Video da palestra sobre Artaud: um brinde ao Ano Novo

1489081_867240439993191_788981377841807473_n
Falei por quase uma hora. Improvisei. Video muito bem montado por Paula Alves, utilizando as imagens projetadas no evento organizado por Wolfgang Pannek, do Taanteatro.
Este é o link para assistir à palestra:
https://www.youtube.com/watch?v=YbMBNG-24iw&feature=youtu.be ou

A nota divulgada pelo Taanteatro:
Pensamentos em Performance
SOBRE ARTAUD
Video da palestra de Claudio Willer
por ocasião do lançamento de
cARTAUDgrafia…
projeto da Taanteatro Companhia em 2015.
Coordenação; Wolfgang Pannek
Video: Paula Alves
Fomento À Dança

Sobre Artaud e surrealismo, neste blog:
https://claudiowiller.wordpress.com/2012/02/03/andre-breton-e-antonin-artaud/
Uma postagem com o link de um artigo mais extenso sobre Artaud, além daquele da entrevista, que menciono, com Paule Thévenin, e outras observações:
https://claudiowiller.wordpress.com/2013/10/06/antonin-artaud-o-ensaio-e-mais/
Faltou, nesta palestra (problema não foi a falta de assunto):
Eu observar que Artaud, mesmo reconciliado com Breton, não aceitou o convite dele, de participar na Exposição Internacional do Surrealismo:
Nas projeções finais de imagens de Maria Izquierdo e Ortiz Monasterio, associar a outras passagens de Artaud, como o esquartejamento de Heliogábalo e todas as castrações e mutilações relatadas nessa obra – isso, como etapas para chegar a sua idéia de um novo corpo, um corpo sem órgãos, nas obras finais.
Haverá mais palestras – e ensaios, e outras intervençoes.
Agradeço aos 316 assinantes deste blog. Que se multipliquem – subscrevam-me.
Feliz 2015.

Palestra sobre Antonin Artaud

Antonin Artaud downloadPróximo sábado, dia 06/12. Às 20 h.Na Oficina Cultural Oswald de Andrade. Promovida pela Taanteatro Companhia, de Maura Baiocchi e Wolfgang Pannek, como parte do ciclo ‘Debates: pensamentos em performance’ e do lançamento de “cARTAUDgrafia” – projeto coreográfico da Taanteatro Companhia sobre a obra e vida de Antonin Artaud.
Será logo após o espetáculo “Androgyne – Sagração do fogo”, direção Coreográfica e Supervisão Geral: Maura Baiocchi, concepção, coreografia e interpretação: Alda Maria Abreu, no mesmo local, às 19 h. Os organizadores informam: 40 lugares (retirar senhas com 30 minutos de antecedência). 60 minutos. O espetáculo [já assisti e gostei] distingue-se por uma meticulosa pesquisa corporal e evidencia as dimensões erótica e sagrada do corpo andrógino. Além das fronteiras de gênero, a obra transborda as linguagens cênicas promovendo um pas des deux entre dança real e virtual, onde corpo e imagem se fundem na criação de um corpo multimídia. “Androgyne” é a mais recente produção da Taanteatro Companhia e foi contemplada com o Prêmio APCA 2013, o Prêmio Denilto Gomes 2013 e o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2013.
Oficina Cultural Oswald de Andrade: Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – Cep: 01123-001 – São Paulo – SP
Telefone: (11) 3222-2662 / 3221-4704 | oswalddeandrade@oficinasculturais.org.br
Programação completa, informando tudo o que acontecerá (bastante coisa): http://oficinasculturais.org.br/programacao/ver.php?idoficina=7
Faz tempo que não dou palestra sobre Antonin Artaud. Outra hora publico o relato de como foi aquela em São Tomé das Letras – acho que desta vez não teremos raios, trovões e apagões. Com o Taanteatro, foi em 1996, comemorando o centenário do criador do teatro da Crueldade. Acho que retomarei e detalharei tópicos deste artigo: https://www.academia.edu/4691151/Sobre_Antonin_Artaud_um_ensaio_in%C3%A9dito – e do meu “Escritos de Antonin Artaud” (L&PM), infelizmente esgotado há décadas. Com o pessoal do Taanteatro já fiz outras coisas. Sobre esse ativo grupo, http://www.taanteatro.com/taanteatro e http://www.taanteatro.com/
Ah, sim! Já publiquei sobre Artaud aqui, neste blog! https://claudiowiller.wordpress.com/2012/02/03/andre-breton-e-antonin-artaud/ – além das obrigatórias reimpressões da minha tradução da Carta ao Papa, um dos post mais acessados aqui, e da carta aos chefes de manicômios.